Jangada Brasil
  

  Jangada Brasil  | RealejoProvérbios  |  No Estradão  |  Amigos da Jangada  | Contato  | Mapa do Site

A MISSA DE NATAL
ESPECIAL DE NATAL
ANO VI - EDIÇÃO 61
DEZEMBRO 2003

Ainda as taieiras, por Téo Brandão

A Missa de Natal

A queimada da palha em Passé, por Carlos Ott

Árvore de Natal, por Franscisco Pati

Auto da porfia das flores, por Gustavo Barroso

Bandeira de Reis

O ciclo dos dois compadres, por Ruth Guimarães

Ciclo folclórico de Natal, Eurico Nogueira França

Festa de Natal em Nova Almeida,por Leão Nunes

Festas de Natal, por Abelardo Duarte

Folclore de Natal, por Fausto Teixeira

Folia de Reis, por Solano Trindade

Já saíram de viagem para visitar Menino Jesus, por Rossini Tavares de Lima

O Natal através da voz dos animais, por Guilherme Santos Neves

O Natal com Jesus Cristo, por Celina Ferreira

Natal de ontem e de hoje, por Carlos Moliterno

Natal e Ano Bom, por Areobaldo Lellis

Natal e presentes, por Jorge Americano

Natal

Pastoril no Recife, por Valdemar Valente

Pinheiro, velas e fogueiras de Natal, por Almiro Caldeira

Presepes e lapinhas, por Téo Brandão

Reis Magos, santos esquecidos dentro das tradições do Natal, por Armando Gimenez

O reisado, por Téo Brandão

Terno das camponesas de Ibirataia, por Carlos Ott

Terno de Reis I, por J. C. Paixão Cortes

Terno de Reis II, por J. C. Paixão Cortes

Um palhaço de Reis, por Renato José Costa Pacheco

Um Reis-de-boi em Conceição da Barra, por Guilherme Santos Neves

Versos de Reis, por Renato José Costa Pacheco

Edições anteriores
Seleções temáticas
As cartas, opiniões e pedidos dos nossos leitores
Bibliografia utilizada
Saiba mais sobre a Jangada Brasil
Contatos
 
ESPECIAL DE NATAL

ESPECIAL DE NATAL: Nesta edição, textos sobre as manifestações populares relacionadas ao ciclo natalino...


Versos de Reis

Renato José Costa Pacheco

Sempre tenho dito que a missão primeira do neófito no folclore é a colheita de material, farto e fiel, a fim de que os doutos possam estudar cientificamente o assunto.

Só depois de muito estudo é que o amigo das tradições deverá entrar no edifício do folclore, comparando as conclusões a que chegou com os resultados obtidos por outros folcloristas.

Por fim, e só depois de sólido conhecimento do folclore, e de suas ciências auxiliares, é que merece o estudioso o título de folclorista.

Humildemente, temos procurado ser apenas "coletor" de folclore, não nos atrevendo a estudos profundos. Isto muito nos honra, pela certeza de que do muito que se colher há de ficar algo de interesse para os eruditos folcloristas patrícios.

Há dias tivemos oportunidade de ver um ABC recolhido em Guarapari, citado por Veríssimo de Melo, companheiro do Rio Grande do Norte, o qual, com muita psicologia, reconheceu nossa mocidade, com possibilidade de, com estudo e denodo, entrarmos na fase comparativa da ciência folclórica.

Por hoje quero transcrever duas canções das festas de Santo Reis, recolhidas no município de Alfredo Chaves, por dona Angelina Braido Dall'Orto.

Acordai se estás dormindo
Escutai alegremente
É chegado os santos Reis
Da parte do Oriente

Em Belém cantou o galo
Ó meu Deus, o que seria
É nascido o Deus menino
Filho da Virgem Maria

Do campo veio um pastor
Na nossa porta bateu
Veio trazer boas novas
Que Jesus Cristo nasceu

São José e Maria
Dizem que vão para Belém
Eles vão cantar os Reis
Vamos nós cantar também

Na lapinha de Belém
Sobre palhas recostado
É nascido o Deus menino
Por nosso amor humanado

Bem podia Deus nascer
Em camas ricas e sofás
Para dar exemplo ao mundo
Nasceu entre os animais

Acordai se estás dormindo
Deste sono que estás
Hoje é noite de brinquedos
Não é bem que vós durmais

Pacheco, Renato José Costa. "Versos de Reis". Folclore, Vitória, janeiro-fevereiro de 1950, p.2